segunda-feira, 18 de abril de 2011

PA(R)

Tens me perturbado
E eu estou apenas, confiante.
O certo me diz que não aparenta
E o incerto me da uma certeza.

Essa leveza tem me tomado
Tanto quanto a pureza,
Sinto que é necessário
Apenas por ser, e não por conveniência

Gosto desta minha calma...
Enxergar além de tudo o que sinto,
Ter comigo uma relação de comunhão
É sentir uma beleza, insondável.

Só Deus sabe,
Meu sono tem sido coberto,
Coberto de PAR.
E tudo? É apenas o começo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário